domingo, 26 de outubro de 2008

Distraída

Disse hoje de mim para mim:
Que dia é hoje? Que mês? Que ano?
É Janeiro, oitenta e três, vinte e tantos...Suponho...
Que eu, às vezes, nem sei às quantas ando...
Mas ralar, eu não me ralo,
Porque o tempo vai passando
Mesmo que eu não queira,
O tempo vai passando
De qualquer maneira.
E se passou o tempo! Se passou...
Foram cinquenta anos já passados
E vividos, vividos a viver,
Sem amargura e sem saudade
Porque os vivi a valer.
Não tenho pena das coisas que passaram
E que não me agradaram. Já as esqueci.
As boas, essas, estão comigo
Porque as vivi.
Agora mais do que nunca quero viver
Quero dizer que sim à vida
Todo o dia, todo o mês e todo o ano.
E não me importo que digam que estou velha
Porque eu não estou
Porque eu não quero.
Fico nos cinquenta só
Mas não me esquecerei todos os anos de fazer anos
Porque eu sou distraída
E às vezes esqueço-me
Que já sou Avó!

5 comentários:

|b| disse...

És avó, "mas não és como as outras"...

Catarina disse...

e porque levei um ralhete que não comentava, cá vá:

o manucho tem razão, nunca foi uma avó como as outras, mas antes louca e divertida, e amiga,e cumplice

que fazia lanchinhos de pão com manteiga, tinha paciência para a minha falta de apetite, e rodopiava na cozinha comigo a dançar sevilhanas. Na casa da avó temos talheres especiais, e copos e pratos só nossos, e ementas que pedimos só porque nos apetece.

Na casa da avó sempre houve música, livros, filmes, histórias do passado, caixas com brincos coloridos e gavetas cheias de batons vermelhos

A avó que não é como as outras tem muitos ódios de estimação mas tem ainda mais amores. Gosta do Benfica mas gosta ainda mais de nós todos.

E fala, fala, fala...
E é única, não só porque é nossa, mas porque é única mesmo. E da varanda dela o céu é sempre mais azul...

Isabel I disse...

Que sorte temos em ter esta mãe, avó e bisavó que nunca, nunca, nunca foi nem será como as outras. E porque ela é mesmo única é que é a nossa Catita. Isabel I

|b| disse...

Vá, já lá vão três... venha de lá esse post!

joana disse...

é tão linda, que hoje me ligou muito triste a pedir que vá ao politeama, procurar a carteira que perdeu. "eu não estou preocupada com os cartões!" eu não posso é aguentar viver sem as fotos dos meus netos que lá estavam!!
viva a nossa catita!que me trata por Você, mas como uma neta! e tanto que gosto dela!!!